quarta-feira, fevereiro 23

Mais propaganda (2)

Depois da apresentação sobre a "execução orçamental do SNS de Janeiro de 2011" (11.02.11) link na qual , Ana Jorge proferiu a já celebre frase que ficará para sempre prá história: «Quero hoje anunciar que, pela primeira vez, a despesa do Serviço Nacional de Saúde desce». O secretário de estado, Óscar Gaspar, prepara-se para protagonizar amanhã (24.02.11) nova apresentação, desta vez, sobre a "evolução do mercado de genéricos e dos encargos do SNS" link
Por certo, onde nos dará a conhecer novos feitos da equipa maravilha que nos tem (des)governado nos últimos anos. A não perder, portanto.

Nota: Por este andar as apresentações vão passar, certamente, a ser diárias. Para anunciar resultados conseguidos fundamentalmente à custa de medidas administrativas e do sacrifício dos portugueses em geral e dos utentes do SNS em particular.
clara gomes

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Mauro_G said...

Os utentes fazem uma utilização “irresponsável” dos serviços de saúde e a crise “é uma boa altura" para mudar de atitude, defende Ana Jorge.

Em entrevista à Renascença, Ana Jorge considera que para ser criado um novo imposto para a saúde, isso, entre outras coisas necessita de uma alteração na Constituição.

No entanto, diz a ministra, "este ainda não é o tempo de pôr essa medida em prática, porque as medidas que estão no terreno ainda dão margem ao Serviço Nacional de Saúde".

Sobre as alterações previstas para a definição de quem está isento de taxas moderadoras, a ministra da Saúde diz que a ideia é que só passem a beneficiar dessa possibilidade os que realmente, com prova de condição de recursos, demonstrem que precisam. Todos os outros devem pagar.

In: http://economico.sapo.pt/noticias/ministra-admite-cobrar-imposto-para-a-saude_111821.html

3:47 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home