sábado, janeiro 8

É tão fácil defender o SNS…

Prescrição electrónica de medicamentos provoca corrida dos médicos ao software link

…”A obrigatória prescrição electrónica de medicamentos a partir de Março está a provocar uma corrida dos médicos privados à compra de programas informáticos. Para o bastonário, a medida é "impraticável", porque há muitos clínicos que "nem computador têm".
O Governo determinou que, a partir de 01 de Março, apenas serão comparticipados os medicamentos prescritos electronicamente, o que obriga os operadores (públicos e privados) a disporem de um programa informático, devidamente certificado pelo Ministério da Saúde”…

Descontando a intervenção do (ainda) Bastonário vamos ver se é desta que o MS se dá conta de que a melhor maneira de defender o SNS é pugnar pela sua eficiência, qualidade e transparência. Não existe nenhuma razão para que sempre que estiver em causa a utilização de dinheiro público não se utilizem, obrigatoriamente, sistemas electrónicos que permitam um controlo mais rigoroso das prescrições quer de medicamentos quer de meios complementares de diagnóstico.

Fica aqui uma sugestão para que a partir de 01 de Junho de 2011 todos os prestadores convencionados e/ou contratantes com o SNS na qualidade de prestadores de serviços sejam obrigados a utilizar requisições e facturas estritamente em suporte digital.
Se a esta medida se adicionarem pelo Centro de Conferências de Facturas do SNS ferramentas de “data mining” e de “business inteligence” muitos milhões vão ser achados em áreas tão distintas como as análises clínicas, diálise e transporte de doentes. Já para não falar no potencial de controlo da “qualidade” da prescrição de medicamentos nos cuidados de saúde primários…

Olinda

Etiquetas: ,

11 Comments:

Blogger Gaspar said...

Liberais de Pacotilha e Inergumeros do Estado Social.
O Despacho 19264/2010 de 29/12, ficará para o anedotário da saúde por conter a palavra "SIMULTÂNEAMENTE"

10:39 da tarde  
Blogger Clara said...

Por onde andará a senhora ministra da saúde?...
Depois de ter sido eleita pelo Tempo de Medicina personalidade negativa do ano nunca mais ouvimos falar de Ana Jorge.
Será que os cortes previstos nos vários PECs incluem as festas sociais, os meeetings de chá e bolos que a ministra tanto aprecia?!...

11:19 da tarde  
Blogger Olinda said...

Caro Gaspar precipitou-se na ânsia de fazer "crítica literária". Olhe que os tais do Estado Social a ser serão Energúmenos e não o neologismo que o caro Gaspar "inventou". De facto a língua portuguesa é muito traiçoeira...

11:46 da tarde  
Blogger Orwell said...

Cara Clara estará a senhora ministra no bunker dominada pelo ensurdecedor ruído dos inimigos que se aproximam? Exangue sem nada para dar aos amigos sindicais e aos outros amigos, coarctada por esses inenarráveis "inimigos" PEC e OE 2011 ter-se-á refugiado no silêncio simulando uma nova fórmula política: a ministra invisível? Que táctica magistral lhe terá sido ensinada por essas geniais assessorias de comunicação quais Joseph Goebbels dos tempos modernos? Do meio da penumbra apenas perpassa, a espaços, o SE na sua persistente e continuada cruzada de se fazer ficar para a história como o Homem que conseguiu fazer a reversão constitucional do SNS transformando-o, em menos de um ano, de tendencialmente gratuito em tendencialmente pago…
Valha-nos a senhora ministra que, ainda que invisível, resiste como o último baluarte na defesa do SNS (seja lá isso o que for na versão destes agentes políticos)…

11:59 da tarde  
Blogger Gaspar said...

Cara Olinda, nem todos somos letrados, uns são gestores de saúde, outros Administradores Hospitalares. Alguns escrevem bem outros tb n, deve ser fruto do novo acordo ortográfico. Mas sempre lhe direi, contestar com esse argumento, lá dirá o ditado, "à porta relincha, mas no curral n entres"!

12:04 da manhã  
Blogger DrFeelGood said...

O Ministério da Saúde já autorizou 110 médicos reformados a continuarem a trabalhar no SNS, noticia a TSF. Esta medida excepcional foi aprovada ainda no ano passado, como resposta à corrida às reformas antecipadas e à falta de médicos. link

No entanto, há ainda mais pedidos a serem analisados pela tutela e que têm de passar obrigatoriamente pelas mãos da titular da pasta da Saúde, como define o decreto-lei publicado há seis meses.

JP 06.01.11

Pronto, o mistério está esclarecido!
A ministra tem passado os primeiros dias do ano à lareira enquanto analisa os pedidos dos médicos reformados.
Não são muitos. Mas o tempo chuvoso, o conforto da lareira e o chá de tília que um amigo lhe ofereceu este natal convidam ao aconchego.
No canto da sala, abandonado sobre uma mesa de recanto, a última edição do Tempo de Medicina, aberta na página onde se pode ler: "Factos e personalidades de 2010: Personalidade negativa: Ana Jorge, ministra da saúde".

Não poderíamos estar mais de acordo.

10:19 da tarde  
Blogger Clara said...

Mas que bem relincha o caro Gaspar!
Essa do inergumeros tem piada.
Deve ser para rimar com culimérios.
Quanto ao segundo comentário, currais à parte, a mensagem é profunda.

10:31 da tarde  
Blogger Joaopedro said...

Aconselhada a desaparecer
A ministra está nas últimas.
Vai ser um período doloroso até às presidenciais e derradeira remodelação do governo de José Sócrates.
Para já o palco é de Cavaco Silva borrado de medo com a enrrascadela do BPN.

10:36 da tarde  
Blogger Gaspar said...

Ó Clara, a zurrar n se chega lá! "que ao curral n tornes" tb o povo diz! Como se o problema fosse esse! A ignorância é mto madrassa! Já agora , n sei se madrassa é com ç ou com dois ss|

6:55 da tarde  
Blogger Gaspar said...

Já agora, a titulo de complemento de resposta, penso que tal permitirá o XAVIER, Clara, por que o texto é seu, " culimérios" em vez de zurrar, entenda carcarejar!

10:48 da tarde  
Blogger Estrela said...

Carcarejar ...terá a ver com Gaspar?
Temos que pedir à RTP que continue com os programas do Diogo Infante.

2:25 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home